Aspectos Culturais da Alimentação

Padrão

Um costume que pode ser considerado como uma regra universal da hospitalidade é que quando um anfitrião oferece comida, você come. É uma demonstração de confiança, um sinal de pertencimento. Recusar a refeição oferecida por alguém, é como se estivéssemos rejeitando a própria pessoa.

Entretanto, os hábitos alimentares cada vez mais seletivos da sociedade moderna ocidental podem adicionar obstáculos a esse costume social tão antigo, segundo reflexão de Pamela Duckerman em artigo para o Jornal New York Times.

Tendo vivido nos Estados Unidos e na França, a colunista compara as diferenças no que é visto como aceitável em relação aos hábitos alimentares e os diferentes papéis que a alimentação apresenta nos dois países.
Enquanto os americanos muitas vezes descrevem sua alimentação como “uma jornada individual de auto descoberta, na qual cada pessoa tenta descobrir, com o tempo e a experiência, qual seu perfil nutricional, para assim satisfazê-lo”, os franceses veem a alimentação, antes de mais nada, como uma atividade coletiva. Para eles, “comer não tem o propósito único de nutrir biologicamente o corpo, mas também e acima de tudo, nutrir os laços sociais”, cita a escritora.

Outra afirmação interessante da articulista é que, dietas seletivas, não necessariamente, são melhores para a saúde, pois elas raramente funcionam e para perder peso você deve se exercitar mais, comer menos e moderadamente, uma variedade de alimentos de alta qualidade e prestar atenção para saber se realmente você está com fome [ou se é um impulso da gula, disfarçando carências e emoções].

Saiba mais sobre o assunto no livro: “Selective Eating: The Rise, the Meaning and Sense of Personal Dietary Requirements”, de Claude Fischler.

O que São Propriedades Organolépticas?

Padrão

Propriedades organolépticas são as características dos materiais que podem ser percebidas (e avaliadas) pelos sentidos humanos, como a cor, o brilho, a luz, o odor, a textura, a maciez, o som e o sabor.
Especialmente os alimentos são avaliados pelos exames organolépticos para verificar se estão em boas condições para o consumo.
Uma das características organolépticas mais avaliadas é a maciez da carne, gerando ganhos econômicos extras, por arroba comercializada.