Benefícios de um Sistema de Exaustão e Insuflação em Conformidade com a NBR 14.518/2000

Padrão

Atendimento aos protocolos de Compliance da área de Recursos Humanos e com payback garantido.

Por que investir?

✔ Porque o sistema de exaustão e a insuflação influenciam nas condições higiênico-sanitárias das operações, minimizando o calor e a humidade, o que diminui a proliferação de microorganismos e ajuda a preservar o ciclo de vida dos produtos;

✔ Porque o sistema de exaustão e a insuflação mantém a saúde funcional dos operadores, minimiza o calor excessivo e a humidade, dispersa os hidrocarbonetos e os gases recorrentes da operação;

✔ Porque o sistema de exaustão e a insuflação provocam a salubridade do ambiente, minimizando as causas que determinam a insalubridade (calor, umidade, doenças respiratórias…);

✔ Porque o sistema de exaustão e a insuflação definem o conforto térmico do local, otimizando a circulação do ar, beneficiando a sensação térmica, estabilizando a pressão arterial, controlando a sudorese e potencializando o bem estar da equipe de trabalho, o que aumenta a produtividade, a criatividade e a motivação para colaborar;

✔ Porque o sistema de exaustão e a insuflação auxiliam na sustentabilidade da operação, minimizando o consumo de energia, com baixo nível de ruído dos equipamentos e com o descarte dos efluentes em condições amigáveis para o meio ambiente.

O trabalho na cozinha profissional, com a manipulação de óleos, uso de equipamentos modernos, elétricos e a gás, altas temperaturas, chamas abertas, muita gordura nos dutos e captores e gorduras vaporizadas, potencializam o risco de incêndio e o sistema de exaustão compõe a segurança contra incêndio (a segurança passiva, integralmente e a ativa, em cooperação com outros sistemas).

Por estas e outras características, os sistemas de exaustão e insuflação podem ser considerados Equipamentos de Proteção Coletiva – EPC.

Consulte-nos.
Estamos preparados, administrativa, técnica e comercialmente para atendê-lo.

Dimensões das Coifas

Padrão

Com relação às dimensões das coifas usadas nas cozinhas profissionais, elas deverão se sobrepor aos equipamentos de cocção conforme indicam os protocolos da norma, nos lados que não são adjacentes às paredes. A norma que “estabelece os princípios gerais para o projeto, instalação, operação e manutenção de sistemas de ventilação para cozinhas profissionais, com ênfase na segurança contra incêndio e no controle ambiental” é a NBR 14.518/2000 que também se aplica às reformas e ampliações de cozinhas profissionais, mesmo as montadas em instalações provisórias ou móveis “(caminhões, ônibus, trailers, pavilhões, barracas, quiosques ou em qualquer lugar coberto)”.
A eficiência da exaustão, a qualidade do ar indoor, a salubridade do ambiente de trabalho e a higiene das operações, dependem, entre outras variáveis, de uma coifa adequada ao tamanho do bloco de cocção.
Consultem-nos.

Coifa Lavadora

Padrão

 

Esta é a COIFA LAVADORA, AR NATURAL, comercializada pela MACROVENDA.

Fabricada em aço inox, AISI 304, bitola de 1,09 mm, a COIFA LAVADORA, AR NATURAL, tem soldas invisíveis, calhas coletoras de gorduras e condensados em todo o seu perímetro, drenos tamponados para remoção dos resíduos e sistema automático de reposição de água e de dosagem do desencrustante (detergente) que não pode fazer espuma e que seja, preferencialmente, biodegradável.

A limpeza do ar ocorre através de bicos pulverizadores, que precipitam as moléculas de gorduras e outros poluentes antes de descartar o ar do processo de cocção, atendendo aos requisitos protocolares da NBR 14.518/2000.

Manutenção, Limpeza & Segurança do Sistema de Exaustão e Insuflação de Ar de Cozinhas Industriais – Um Investimento Necessário

Padrão

Segundo a NBR 14.518/2000, os sistemas de exaustão e de insuflação de ar devem passar por uma inspeção semestral para a constatação do pleno funcionamento de todos os elementos que os compõem (item 6.2).

Para o seguro e eficiente funcionamento do sistema de exaustão é importante que se dê atenção aos equipamentos que demandem de limpeza diária (manutenção preventiva, item 6.2.2.1).
A manutenção dos outros componentes deve ser gerenciada “em função do regime operacional da cozinha e face aos depósitos de gordura e óleo condensado, que não deve exceder a 6 mm de espessura” (item 6.2.1.2).

Para complementar a manutenção dos sistemas de exaustão e de insuflação, temos a NBR 13.971/2014 que especifica, o quê e quando fazer, através de um conjunto de tabelas: a de nº 2, trata da manutenção de ventiladores; a 4 – filtros; a 6 – distribuição e difusão de ar; a 7 – quadros elétricos; a 8 – motores e transmissão e a tabela 9 – hidráulica e bombas (coifas lavadoras, caixas de lavagem de efluentes do processo de cocção).

Com as informações gerenciais (os relatórios dos serviços realizados em um determinado período de tempo regular), faz-se a programação das manutenções futuras, considerando o menor intervalo entre as intervenções realizadas.

Com esses cuidados, a cozinha não terá interrupções inesperadas, as condições de higiene, salubridade e de conforto térmico contribuirão para preservar a saúde ocupacional dos operadores, a segurança geral das operações estará garantida, a vida útil dos equipamentos será prolongada, o patrimônio permanecerá valorizado, os sistemas continuarão efetivos, a produtividade será sustentada e pode-se celebrar o sucesso do empreendimento e as boas taxas de retorno sobre os investimentos.

Eficiência e Segurança em Sistemas de Ventilação de Cozinhas Profissionais

Padrão

Uma informação muito importante aos empreendedores da área gastronômica, é com relação ao sistema de exaustão de cozinhas profissionais.
Há algumas normas que regulam este segmento da Ventilação Industrial e a que trata da eficiência, questões higiênicas e de segurança é a NBR 14.518/2000.
É fundamental que a vazão e a perda de carga do sistema de exaustão estejam de acordo com as dimensões da coifa, o volume de ar que entrará na mesma e o arranjo da tubulação (seção, comprimento e singularidades).

Como todo o ar que é retirado de um ambiente precisa ser reposto, de forma natural ou mecanicamente, temos que pensar na insuflação da cozinha.
Para que não haja contaminação das áreas próximas à cozinha, com os cheiros característicos, devemos deixar a cozinha com a pressão negativa, insuflando de 10 a 15% menos ar, do que o volume retirado pela coifa.

Diferenças Entre o Aço Inox 304 e o Aço Inox 430 na Fabricação de Coifas

Padrão

Na hora do planejamento para a fabricação de coifas, dutos e outros produtos relacionados ao sistema de ventilação de cozinhas profissionais, uma questão está sempre presente: qual é o aço inoxidável que devemos usar: o 304 ou o 430?
Existem vários tipos de aços, cada qual com uma composição química, um processamento termo-mecânico e aplicações diferentes.
Afinal, qual é o mais adequado para as instalações das cozinhas profissionais?
O AISI 304 é um Aço Austenítico não magnético com pelo menos 18% de Cromo (Cr) e 8% de Níquel (Ni), elemento que lhe confere superioridade no que tange à sua propriedade anti-corrosiva em relação ao AISI 430, um aço ferrítico magnético com 16% de Cromo (Cr) e maior percentual de ferro na sua composição. Além da resistência maior à corrosão, o aço AISI 304 tem outras duas diferenças no comportamento: maior conformabilidade, aceitando maiores conformações (dobras) sem causar fadigas, nem alterações plásticas na sua apresentação e tem maior soldabilidade, característica que lhe confere maior resistência à ação do processo de soldagem, sem deixar pontos de vulnerabilidade à corrosão, o que o faz, portanto, ser o mais indicado para cozinhas profissionais.

Limpeza do Sistema de Ventilação de Cozinhas Profissionais

Padrão

Conceitualmente, sistema de ventilação mecânica é o conjunto de equipamentos que, harmonicamente conectados, colaboram para a execução de um fim específico, que pode ser ventilação mecânica, insufladora ou ventilação mecânica, exaustora .
Um sistema de ventilação para cozinhas profissionais é composto, essencialmente, de captores, filtros para limpeza do ar de processo, dutos de distribuição do ar de processo e ventiladores.
Sob o ponto de vista da eficiência do sistema de ventilação e filtragem do ar de processo é preciso que se estabeleça um tempo mínimo para se fazer a limpeza do sistema. Para isso é necessário o controle histórico da utilização do mesmo, onde, basicamente, deve ser considerado os equipamentos que compõem o bloco de cocção, os alimentos processados, a fonte de calor utilizada na preparação, os volumes que são preparados, a técnica culinária (cozeduras (ao vapor, à pressão), frituras, assados, gratinados…), o tipo de catalizador da operação (água, óleo, manteiga, leite, azeite…) e por fim, o tempo de operação, diário, da cozinha.
Nós, da MACROVENDA – VENTILAÇÃO INDUSTRIAL – FOODSERVICE SOLUTIONS, sugerimos que mantenham a limpeza do sistema de ventilação dentro do tempo mínimo, identificado, assegurando a conformidade às normas vigentes e a eficiência do sistema.
Oportunamente, trataremos de outros aspectos importantes na limpeza e manutenção nos sistemas de ventilação de cozinhas profissionais.

Ventilação de Cozinhs Profissionais: a Profissionalização de um Segmento

Padrão

Estamos presenciando um momento de maior conscientização e assunção de responsabilidades.
Particularmente, vejamos as questões da ventilação de cozinhas profissionais.
A norma NBR 14.518/2000, que regulamenta o segmento, na iminência de ser atualizada, ainda é bastante desconhecida pela grande maioria dos players do segmento, mas quando apresentada, a resposta é positiva e animadora e cabe a nós, da mesma cadeia de interesses, irmos esclarecendo e implementado as modificações, pois elas são importantes sob os aspectos: higiênico-sanitário, segurança patrimonial e funcional, salubridade, ergonômico e ecológico.

A Macrovenda tem expertise em planejamento, projeto, instalação, treinamento e consultoria nas áreas de sistemas de ventilação de cozinhas profissionais e ventilação e controle da poluição industrial. Contamos com uma equipe qualificada, especializada em sistemas de exaustão em geral, com filtragem dos mais diferentes tipos de poluentes emitidos pelos processos industriais e comerciais. Comercializamos sistemas completos, adequados às leis específicas de cada segmento, às leis ambientais e trabalhamos em conformidade com as normas brasileiras (ABNT). Nossos produtos têm qualidade garantida e nosso atendimento personalizado visa manter a tranquilidade de nossos clientes, da execução do serviço ao pós venda.